Investir na casa própria: é melhor consórcio ou poupança?

investir na casa propria

Adquirir um imóvel próprio continua sendo um dos principais sonhos do brasileiro. Pensando nesse sonho, muitas pessoas trabalham durante anos para finalmente alcançar esse objetivo. No entanto, é importante analisar a melhor maneira de investir na casa própria e escolher uma modalidade de crédito que melhor se encaixe em suas necessidades.

O consórcio no Brasil é visto como uma boa opção para juntar dinheiro todo mês, assim como a poupança. Por isso, quando é chegada a hora de investir na casa própria, muita gente não sabe qual desses sistemas é mais vantajoso.

Quer saber qual é a melhor opção para você? Neste artigo, vamos esclarecer tudo sobre o consórcio e a poupança para a compra de um imóvel, destacando suas vantagens e desvantagens. Continue a leitura!

Como funciona a poupança?

Este é um dos investimentos mais populares entre os brasileiros, portanto, você certamente já ouviu falar sobre ele. Vale ressaltar que a poupança é oferecida pela maioria dos bancos. Mesmo que o cliente tenha uma conta corrente, ele tem a opção de vinculá-la a esse investimento.

Dessa forma, para investir na poupança é preciso fazer um depósito inicial. Depois disso, o cliente pode depositar o valor que quiser, no momento que quiser. Assim, o sistema permite que sejam feitos vários depósitos, diretamente no banco, em caixas eletrônicos ou online.

Com isso, o dinheiro vai render ao mês uma pequena quantia, sendo ainda um investimento livre de custos. Mas, apesar disso, o rendimento da poupança pode ser um tanto quanto desanimador, conforme varia a situação da economia do país, fazendo com que o dinheiro de quem investe perca valor de compra.

Para você ter uma ideia, em junho, o rendimento da poupança permaneceu na média de 1,57% ao ano. Mas várias vezes já aconteceu deste valor estar negativo.

Vantagens da poupança

Após entender o funcionamento básico desse investimento, é importante que conheça suas vantagens, já que isso ajudará na sua escolha de qual meio usar para investir na casa própria. Algumas delas são:

  • facilidade: esse é um dos seus maiores benefícios, pela possibilidade de investimento de diversas formas. Mas, com isso, surge um fator delicado que faz com que, em algumas situações, isso seja uma desvantagem, especialmente se o investidor não for disciplinado;
  • liquidez: é possível realizar saques a qualquer momento, nos caixas eletrônicos ou fazendo compras com o cartão de débito. O dinheiro guardado na caderneta de poupança estará disponível todo o tempo, podendo ser usado para fazer uma compra, por exemplo (novamente, isso pode ser uma tremenda desvantagem para quem não tem disciplina).

Desvantagens da poupança

Assim como tudo na vida, a poupança também conta com suas desvantagens. Por isso, é importante que a pessoa interessada não tenha nenhuma dúvida. Confira:

  • baixa rentabilidade: sua caderneta conta com uma das menores rentabilidades do mercado, algumas das vezes sendo mais baixa que a inflação. Isso faz com que o dinheiro acumulado na conta possa passar a valer menos;
  • rendimento: a quantia em conta só rende uma vez por mês, portanto, para receber o valor referente aos juros, é preciso que o dinheiro fique parado na poupança por pelo menos 30 dias;
  • facilidade em sacar o dinheiro: se não houver organização e disciplina, essa é uma das maiores desvantagens, pois diante de qualquer imprevisto o dinheiro guardado em conta será retirado. Assim, quem quer guardar dinheiro para a realização de um sonho mas não tem disciplina e muito foco, deve procurar outra forma para fazer isso.
  • não oferece garantia: esse é um ponto muito importante para quem tem um objetivo concreto. Além do tempo de investimento ser muito longo, a poupança não dá nenhuma garantia que a pessoa terá o dinheiro para a compra da casa. Ou seja, você não terá certeza de que vai conseguir realizar esse sonho se investir em poupança.

Como funciona um consórcio?

É uma modalidade de investimento colaborativa, ou seja, uma forma de aquisição de crédito que ocorre com a união de pessoas que querem adquirir um bem ou contratar um serviço de maneira parcelada, mas sem pagar juros. O consórcio se torna uma boa opção para comprar uma casa, pois é reajustado por outros indicadores mais rentáveis do que a poupança, como o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), fazendo com que seu rendimento seja sempre maior que a inflação.

Em junho de 2020, o valor acumulado do INCC nos 12 meses anteriores estava em 4,24%. Um rendimento significativamente maior do que a poupança.

Para usar o consórcio como forma de investimento na casa própria, é preciso investir em parcelas mensais, cujo valor arrecadado pelo grupo formará o fundo comum. Todos os meses, é feito um tipo de sorteio em que um ou mais consorciados terá acesso à carta de crédito. Quando o consorciado é contemplado, poderá usar o dinheiro para comprar seu imóvel com poder de compra à vista.

O tempo de duração do consórcio varia bastante, mas geralmente é 180 meses. Ou seja, durante todo esse período você poderá acessar o crédito para comprar a casa própria em qualquer mês de acordo com a sua sorte, porém, em no máximo 15 anos você terá certeza de que estará morando na sua casa!

Tem pressa? Você pode adiantar a contemplação ofertando lances. A gente explica como funciona neste vídeo:

É importante que você saiba que todo o processo é organizado por uma administradora do consórcio. É ela que administra a saúde financeira do grupo e gerencia o interesse dos consorciados.

Vantagens do consórcio

Para quem quer investir na casa própria, é importante compreender sobre o consórcio e saber quais são seus reais benefícios. Confira:

  • custo é mais baixo: seu investimento é mais barato do que empréstimos e financiamentos. É 100% seguro, eficaz e oferece ao consorciado a garantia do crédito, dando a ele a certeza de que sua casa será comprada.
  • não há cobrança de juros: esse é um dos seus maiores benefícios, pois é possível que todas as parcelas sejam pagas sem taxa de juros. Com isso, quando fazemos a comparação do consórcio com as outras modalidades, seu valor de quitação final será muito mais vantajoso;
  • não exige um valor de entrada: diferente de outros investimentos, não é necessário que seja pago um valor para sua adesão. É importante ressaltar também que a comprovação de renda só é feita no momento da contemplação;
  • educação financeira: o consorciado tem a responsabilidade de pagar todos os meses as parcelas destinadas à aquisição do bem desejado. O processo é feito com segurança e garantia, tornando o consórcio um bom investimento a longo prazo, evitando que o dinheiro guardado seja gasto sem necessidade;
  • oferece liberdade de escolha: antes de tomar a decisão, as administradoras disponibilizam diferentes tipos de planos, que possibilitam que o interessado escolha o valor da parcela de acordo com sua situação financeira.
  • menor tempo de contribuição: nesse caso, entra a educação financeira. Como as parcelas sempre são pagas, o tempo de contribuição é menor, ou seja, é garantido que a casa será adquirida em um determinado tempo, na maioria das vezes, muito menor que o tempo investido na poupança ou em financiamentos.

Desvantagens do consórcio

Mas, ao escolher o consórcio quais seriam as desvantagens? Apesar de não serem grandes, é importante que sejam esclarecidas. Conheça algumas delas:

  • investimento a longo prazo: não é necessariamente uma desvantagem se houver disciplina por parte do consorciado, já que, diferente da poupança que tem liquidez, no consórcio o valor investido é retido durante o processo. Mas vale analisar bem, pois se a quantia está reservada para a concretização de um sonho, a baixa liquidez vai oferecer a certeza de sua realização. Você vai dormir todos os dias sabendo que o sonho da casa própria é apenas questão de tempo;
  • pagamentos obrigatórios: uma vez que o contrato é assinado, as parcelas mensais devem ser pagas. Com isso você não pode escolher pagar a parcela em um mês e no outro não. Entretanto, esse fato também não precisa ser considerado uma desvantagem, uma vez que pode ser a solução para quem tem dificuldade de guardar dinheiro.

Depois de entender as características de cada um, a escolha fica mais simples. O importante é considerar suas diferenças, seus benefícios e pensar sobre seu objetivo com o dinheiro que será aplicado. Entretanto, se você tem dificuldades em acumular o valor desejado, pense melhor sobre o consórcio, pois ele é uma ótima opção para quem quer comprar a casa própria, mas não consegue chegar ao valor final.

Conseguiu entender qual a melhor forma de investir na casa própria? Se você quer fazer um consórcio para realizar seu sonho, mas ainda tem dúvidas, você não perde nada se conversar sem compromisso com um especialista. Clique na imagem abaixo e faça o seu cadastro!

converse com um especialista em consorcio empresarial

Deixe aqui o seu comentário

SOBRE O AUTOR

Ajudo você ou sua empresa a despertarem a consciência sobre o uso inteligente do dinheiro, trazendo Educação Financeira e usando o Consórcio como ferramenta para garantir a conquista dos seus sonhos e objetivos.

CATEGORIAS

REDES SOCIAIS