Você sabe o que analisar ao fechar um contrato de consórcio? Confira aqui!

contrato de consorcio

Saber o que analisar ao fechar um contrato de consórcio evita que você assuma riscos desnecessários em contratos nebulosos, ou mesmo faça um mau negócio por falta de entendimento sobre o que está sendo acordado. Como não se brinca com dinheiro, é essencial entender qual a melhor maneira de concluir esse contrato para que não haja problemas futuros.

Neste post, você entenderá essas questões com profundidade e saberá como lidar com todos os pontos relativos a um contrato de consórcio. Prossiga com a leitura e aprenda!

Para que serve o contrato de consórcio?

Não é novidade que investir em consórcio é uma excelente solução para quem não quer depender de empréstimo e ficar refém dos juros abusivos que costumam acompanhar esse tipo de transação. Embora o consórcio seja uma das operações financeiras mais seguras que existem, o fato de você aderir a esse sistema não significa que você pode deixar de lado alguns cuidados. Como em qualquer outra negociação, é importante estar atento aos aspectos legais e o que está sendo acordado no documento a ser assinado.

Nesse sentido, o contrato de consórcio torna-se importante, pois especifica os direitos e as obrigatoriedades de cada membro, por qual bem ou serviço o consorciado está pagando e qual a forma de acesso a esse bem. Por isso, antes de fechar qualquer contrato de consórcio, preste atenção aos detalhes para não se complicar à toa. Tenha cuidado e entenda com o que está se comprometendo.

Como ele funciona?

Para fechar o contrato de consórcio sem surpresas, primeiro é importante que você entenda exatamente como esse sistema funciona.

O consórcio é uma maneira de você levantar crédito sem juros para realizar as mais variadas conquistas, desde a compra da casa própria ou aumento de patrimônio, aquisição de veículos ou até para investir na empresa sem depender de empréstimos, financiamentos e demais amarras que só dificultam as coisas em médio e longo prazos.

Empresas, por exemplo, podem usar o consórcio para os mais variados objetivos, desde a compra de máquinas e equipamentos, renovação de frota, investimentos em tecnologia e mão de obra especializada, ampliação, reforma, aquisição de sede própria e até capital de giro.

Estratégias em curto, médio e longo prazos

Basicamente, existem 3 maneiras diferentes de levantar crédito de acordo com cada necessidade. São elas:

  1. Sorteios: você entra em um grupo de consórcio e investe todos os meses em parcelas pequenas, sem entrada. Até o término do grupo, mensalmente um ou mais consorciados são sorteados e recebem o crédito integral sem pagar juros. É indicado paraquem quer programar crédito em médio ou longo prazo e que não tem tanta pressa.
  2. Lances: para quem tem mais pressa, é possível adiantar a contemplação ofertando lances, que nada mais é do que adiantar o pagamento de algumas prestações do seu consórcio para o grupo. Você pode utilizar recursos próprios ou oferecer um percentual da sua própria carta de crédito como lance.
  3. Cartas contempladas: para conseguir crédito imediatamente, a estratégia é adquirir um consórcio que já passou pelo processo de contemplação. Fazendo isso, você levanta recursos rapidamente de uma maneira 10 vezes mais barata que empréstimos e financiamentos.

Estes são pontos muito importantes para você observar antes de participar de um consórcio. Tenha em mente que se a sua necessidade de crédito for mais urgente, você terá que investir na estratégia dos lances ou na compra de uma carta contemplada. Jamais acredite em propostas mirabolantes que não constam no contrato de consórcio, como a promessa de contemplação rápida via sorteios. Pesquise bem e escolha o modelo que melhor atenda aos seus interesses.

Quais os pontos mais importantes no contrato de consórcio?

pontos importantes do contrato de consorcio

Você já sabe que é importante analisar todo o contrato do consórcio que pretende aderir, mas existem alguns pontos que você deve prestar bastante atenção. Veja abaixo.

Dados dos envolvidos

Como em qualquer contrato, você precisa observar bem os dados dos envolvidos no negócio: nome jurídico, endereço, formas de contatos, e tudo o mais o que for relativo ao consórcio que pretende contratar. Não esqueça de pesquisar o CNPJ da empresa e conferir se a administradora é autorizada a comercializar cartas de crédito pelo Banco Central. Uma boa dica é procurar as redes sociais da empresa que você está negociando e verificar os depoimentos dos clientes.

Conhecendo bem com quem está negociando, você evita incômodos e garante que determinações presentes no contrato serão cumpridas. Isso evitará muitas dores de cabeça.

Formas de pagamento

Se utilizar o sistema tradicional via sorteios, seu pagamento será mensal em parcelas pequenas, sem entrada e, vale ressaltar, sem juros. Caso pretenda adiantar a contemplação com lances, você pode usar um percentual da sua carta de crédito para fazer essa oferta ou pode oferecer um lance com recursos próprios, tendo a possibilidade de utilizar para imóveis residenciais até 100% do seu FGTS numa oferta de lance ou para quitar parcelas.

No caso da compra de uma carta de crédito contemplada, você deve quitar o que foi pago por esse consórcio até o momento da sua contemplação e assumir as parcelas restantes. Também existe um ágio cobrado pelo dono original dessa cota, portanto, nessa modalidade você precisa investir um valor de entrada.

Se você quer entender mais a fundo como funciona a aquisição de crédito por meio de cartas contempladas, preencha o formulário abaixo e acesse gratuitamente nosso guia completo sobre esse assunto:


Inadimplência

A inadimplência é algo muito desvantajoso para um consórcio, por se tratar de um modelo de economia colaborativa no qual todos estão investindo juntos no mesmo objetivo de levantar crédito para a compra de bens ou serviços sem pagar juros. Por esse motivo, é comum proibir a participação de inadimplentes nas assembleias dos sorteios. Em alguns casos, existe a aplicação de multas.

Caso ocorra algum imprevisto e você não consiga mais dar conta das parcelas, sempre existem maneiras de negociar com a administradora, solicitando inclusive redução do crédito e do valor das parcelas ou até o “congelamento” do consórcio até que você se organize.

De qualquer forma, procure evitar passar por essa situação para não prejudicar a si e ao grupo. Leia com atenção a cláusula para inadimplência no contrato, dessa forma, saberá o que fazer caso passe por essa situação.

Seguro

Diversos consórcios contam com seguros, alguns, inclusive, dedicados a suprir a inadimplência dos membros. Todavia, o mais comum é o seguro prestamista no qual em situações de maior gravidade, como invalidez do consorciado ou mesmo falecimento, a carta continuará sendo paga para que o consórcio possa ter prosseguimento.

Confira se, de fato, existe algum seguro no contrato e quais as coberturas oferecidas. Isso pode ser importante em momentos de maior dificuldade.

Fundo de reserva

Outra estratégia para garantir mais segurança e tranquilidade aos consorciados é o fundo de reserva. Esse seguro existe para proteger o grupo em casos de emergência, e serve inclusive para que os consorciados não sejam prejudicados pela falta de compromisso de algum participante.

Este tipo de seguro não é obrigatório e algumas administradoras não o utilizam. Mas mesmo que haja um pequeno valor a ser pago pelos consorciados, diluído nas parcelas, esta é mais uma segurança que torna o consórcio absolutamente vantajoso, já que não existe possibilidade de não receber o crédito. Se esse recurso não precisar ser utilizado, ele é devolvido proporcionalmente a todos os integrantes do grupo no final do prazo.

Avalie se no contrato de consórcio existe esse fundo de reserva e dê preferência àqueles que utilizam esse seguro. Isso dará a você muito mais tranquilidade na hora de investir.

Descrição do bem ou serviço

Você realmente sabe pelo que está pagando em um consórcio? Se quer comprar um automóvel, certamente não adiantará participar de um consórcio que seja dedicado a bens imóveis. O mesmo vale para o inverso e qualquer outra situação que não vá ao encontro do que você está buscando.

Tenha certeza de que está se associando a um grupo que tem os mesmos interesses que os seus, e assim evite que ao final dessa jornada que você tenha uma má surpresa em relação ao tempo e dinheiro investido em um consórcio.

Como pode ver, não é difícil entender o que analisar em um contrato de consórcio e como concluí-lo com sabedoria. Agora que tem as informações certas, será muito mais fácil conseguir isso.

Se gostou de saber o que analisar ao fechar um contrato de consórcio, assine nossa newsletter para continuar por dentro do nosso conteúdo.

Deixe aqui o seu comentário

SOBRE O AUTOR

Ajudo você ou sua empresa a despertarem a consciência sobre o uso inteligente do dinheiro, trazendo Educação Financeira e usando o Consórcio como ferramenta para garantir a conquista dos seus sonhos e objetivos.

CATEGORIAS

REDES SOCIAIS

Shopping Basket