Quer reduzir inadimplência na sua empresa? Veja essas 6 maneiras

reduzir inadimplência

Você também tem a sensação de que vender não é a parte mais difícil do negócio, e sim receber? Tem muito empresários sentindo o mesmo. Neste sentido, reduzir a inadimplência tem sido a preocupação número um de várias empresas, principalmente durante a pandemia.

Mas você já parou para pensar o quanto a inadimplência prejudica o seu negócio? Se você se preocupa em fazer uma boa gestão financeira, já deve ter feito essa conta e notado o tamanho do rombo que esse tipo de situação deixa no seu faturamento.

Por esse motivo, é preciso assumir uma postura de resolução e buscar estratégias para evitar que a inadimplência atinja a empresa negativamente.

Neste texto, você tem acesso a sugestões de ações que podem ser inseridas na rotina do seu negócio para sanar ou, pelo menos, reduzir esse problema. Prossiga com a leitura e saiba tudo sobre o assunto!

1. Conheça o Código de Defesa do Consumidor

Depois que a dívida é feita, cobrar se torna um ato complicado, por isso, precisamos reafirmar a importância de coibir os atrasos. Portanto, a empresa que cobra de um determinado consumidor deve conhecer as normas e regras que estão relacionadas ao Código de Defesa do Consumidor. Negligenciar esse conhecimento é um erro para a gestão, pois ele é essencial para evitar possíveis infrações. Atos como os seguintes são proibidos:

  • fazer a cobrança no local de trabalho do cliente;
  • cobrar do consumidor em locais comerciais;
  • expor o cliente a momentos constrangedores;
  • fazer ameaças ou afirmações falsas;
  • deixar recados com vizinhos ou parentes.

Atualmente, o comércio eletrônico tem regras próprias de proteção ao cliente. Uma delas é o direito de se arrepender em relação a uma compra feita via telefone ou internet. Dessa forma, o cliente tem direito de se arrepender da compra em até 7 dias após receber o produto. Já em caso de uma cobrança indevida, o consumidor pode receber todo o seu dinheiro de volta.

2. Consulte o CPF do comprador

É sempre bom fazer uma pesquisa antes de oferecer o crédito, para isso, compreender as melhores formas de disponibilizá-lo deve ser o primeiro passo. É possível pesquisar o CPF do cliente nas agências dos correios. Essa é uma ferramenta comum, que permite entender se o consumidor está inadimplente ou não, diante da Receita Federal.

Entretanto, a pesquisa não possibilita o acesso às especificações das dívidas obtidas pelo cliente. Para saber mais sobre seus pagamentos atrasados, é necessário fazer uma análise de crédito. Outra boa estratégia é incentivar o consumidor a pagar antes, oferecendo condições especiais para pagamentos à vista ou enviar lembretes informando a data de vencimento.

Para reduzir inadimplência é comum que as empresas, principalmente as lojas virtuais, aceitem os principais meios de pagamento, como:

  • parcelamento com cartões;
  • boletos bancários;
  • carnês;
  • assinaturas mensais e;
  • marketplace.

3. Observe o histórico de crédito do cliente

Observe o historico de credito do cliente

É interessante conhecer seu público-alvo e seus hábitos em relação ao consumo. Cada pessoa tem motivos e necessidades diferentes, o que acaba influenciando a situação de inadimplência. Por isso, é importante identificar cada um deles, aprender negociar e lidar com cada situação.

Você pode fazer uma consulta do crédito do consumidor, e o jeito mais simples é por meio do CPF, CNPJ e cheques. Realizar essa pesquisa permite saber se ele tem histórico de cheque sem fundo, extraviado, sustado ou roubado.

Com essa consulta o vendedor consegue saber se as pessoas têm algum tipo de pendência de pagamento ou se são participantes da sociedade em outro negócio.

4. Conte com políticas claras de pagamento

Quando essas políticas não são devidamente esclarecedoras, alguns consumidores podem se tornar inadimplentes sem sequer perceberem. Por isso, trate de fazer um acordo com seu cliente sobre a forma de pagamento e data prevista, de maneira que funcionem para ambos. Por exemplo, se ele recebe o salário no dia 10, vai querer fazer o pagamento no dia 15; e cobrá-lo antes desse dia pode levar ao atraso, se ele não estiver ciente dos acordos do contrato.

Logo após estabelecer os detalhes, faça e envie para ele um e-mail formalizando a situação, assim os detalhes ficam em um local de fácil acesso, caso haja alguma dúvida. Depois que o primeiro pagamento for efetuado, entre em contato com ele para receber um feedback e, se caso o acordo não tiver dado certo, altere o que foi combinado.

5. Beneficie os melhores pagadores

A maioria das pessoas gosta de ser reconhecida, e ganhar recompensas por esse ato é uma característica natural do ser humano. Premiar bons pagadores e incentivar o pagamento em dia é uma estratégia que ajuda a reduzir inadimplência e evita que ela se torne um problema ainda maior.

A compra pelo boleto bancário permite a inclusão de descontos, a fim de beneficiar quem paga antecipadamente. Mas vale a pena pensar em outras ações além dessas.

Fazer o envio de prêmios após o pagamento de uma quantidade parcelas, dar um objeto para assinantes até certo dia do mês ou, até mesmo, ter um nível de pontuação que, ao ser atingido, oferece acesso a um produto ou serviço exclusivo são alternativas que costumam funcionar.

6. Negocie as dívidas

Devemos lembrar que em caso de dívidas, principalmente as mais antigas, o objetivo é receber o valor referente a ela e não ficar no vermelho. Portanto, ao entrar em contato com cliente para fazer a cobrança, tenha em mãos os valores atualizados, já com acréscimo de juros, se houver.

Também não podemos nos esquecer de ter empatia com o próximo e se manter abertos para entender melhor a situação que o levou à inadimplência, principalmente em uma situação de pandemia.

Além disso, ter cautela, compreensão e mediar conflitos que possam prejudicar ainda mais a situação. Às vezes, receber a metade do valor é melhor do que não receber nada.

Você deve ser firme e deixar claro o que é melhor para seu negócio. Dê a ele um prazo máximo para a quitação da dívida que foi negociada e o informe sobre as consequências caso esse prazo seja ultrapassado. Não se esqueça de registrar todas as tentativas de negociação, pois isso evita possíveis embates judiciais.

Esperamos que você tenha entendido que esse é um problema que afeta um número alto de empresas. Por outro lado, é preciso ter em mente que para conseguir reduzir inadimplência, é interessante contar com uma boa gestão de cobranças, a qual deve acontecer por meio de uma ferramenta digital ou setor na instituição. Até porque cobrar cliente por cliente exige muita dedicação e tempo dos colaboradores. Lembre-se de que mesmo seguindo essas orientações, se o problema não for resolvido, ele pode ser revisto judicialmente.

Agora que você já sabe como reduizir a inadimplência e evitar que esse problema prejudique sua empresa, confira nosso artigo sobre algumas táticas para aumentar o faturamento. Boa leitura!

Deixe aqui o seu comentário

SOBRE O AUTOR

Ajudo você ou sua empresa a despertarem a consciência sobre o uso inteligente do dinheiro, trazendo Educação Financeira e usando o Consórcio como ferramenta para garantir a conquista dos seus sonhos e objetivos.

CATEGORIAS

REDES SOCIAIS