Por que o valor do crédito é corrigido em um consórcio?

Redação Redesul :)

Redação Redesul :)

O melhor da Redesul com estratégias para prosperar e aumentar seus investimentos.

Imagine que o seu sonho seja comprar a casa própria. Você pesquisou e encontrou um imóvel do jeito que você quer que custa R$ 100 mil. Para conseguir comprar essa casa, vamos supor que você entrou hoje em um grupo de consórcio.

Se você for contemplado daqui a 5 anos, certamente o valor daquela casa terá sido reajustado, assim como tudo que envolva aporte financeiro, como o seu salário, comida, gasolina e até mesmo os financiamentos bancários, que além de praticarem juros enormes, reajustam o saldo devedor conforme a Taxa Referencial (índice que corrige o saldo devedor das contas de poupança e das contas vinculadas do FGTS), ou até mesmo pela inflação.

Tudo sofre reajuste e com o consórcio não seria diferente! Sem essa atualização, os consorciados não conseguiriam comprar seu bem ou contratar o serviço que pretendiam quando entraram no grupo, pois esses valores aumentam no decorrer dos anos.

Na prática, o consórcio garante por Lei que todos os componentes do grupo conseguirão usar o crédito pra adquirir o bem ou serviço que programaram, portanto, este reajuste não é uma taxa extra que você paga à administradora e, sim, o acompanhamento necessário das atualizações do mercado.

Critérios para correção do crédito

O crédito é atualizado de acordo com as regras estabelecidas em contrato e cada administradora tem a liberdade de definir o critério que vai utilizar: um indicador ou um valor sugerido pela montadora ou fabricante.

Geralmente, as administradoras utilizam um índice de preços e, nesses casos, a atualização do valor do bem ou serviço é anual, sempre considerando a data de abertura do grupo. Para imóveis, o indicador mais utilizado é o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Em serviços, o mais comum é o Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM).

Em consórcios de veículos, a administradora pode utilizar como base para essa correção a tabela Fipe, ou, também pode optar em corrigir de acordo com o preço sugerido pela montadora ou fabricante. Se esse for o caso, o valor do crédito é atualizado quando a montadora sugerir o novo preço.

Com essa atualização, conforme previsto em contrato, o valor das parcelas também é corrigido para mais ou para menos (dependendo do indicador ou do valor sugerido pelo fabricante).

A orientação é sempre analisar as condições da cada administradora e pesquisar a variação desses índices pra fazer a melhor escolha.

Correção do crédito na prática

Veja como o cálculo é simples:

Digamos que você tenha entrando em um consórcio de imóveis em julho de 2017, pra conseguir um crédito de R$ 100 mil, divido em 180 parcelas de R$ 688,89 (valor acrescido de Taxa Administrativa).

A atualização no valor do seu crédito e da suas parcelas será feita todo mês de julho, de acordo com o acumulado do INCC nos últimos 12 meses, então:

– INCC acumulado de julho/2017 a junho/2018: 3,63%
– Valor do crédito atualizado: R$ 103.630
– Valor da prestação atualizada: R$ 713,90

Assim, a partir de julho de 2018, a parcela é reajustada para R$ $ 713,90 e, se contemplado, você receberá um crédito atualizado de R$ 103.630.

Correção do crédito após a contemplação

Depois de ser contemplado, o consorciado tem até o final do grupo pra usar o crédito. Se não usar, o valor rende de acordo com a taxa Selic.

Mas por que as prestações ainda sofrem correção?

Isso acontece porque os bens e serviços têm seus valores reajustados com o passar do tempo, e todo os componentes do grupo que ainda não foram contemplados também precisam conseguir comprar o que pretendiam quando chegar a vez deles.

Além do mais, quem foi contemplado nos primeiros sorteios teve a oportunidade de comprar um bem à vista por um preço menor, pois ele será valorizado no decorrer dos anos.

Essa é a essência do consórcio: a união de um grupo de pessoas para que todos consigam comprar um bem ou contratar um serviço com parcelas pequenas e sem pagar juros.

Como evitar a correção do crédito

Tanto o consorciado contemplado como o não contemplado têm a possibilidade de quitar todas as parcelas do consórcio ou apenas algumas delas, e isso pode ser bastante vantajoso.

Se, por acaso, você tem uma cota que não foi contemplada, e decidir pagar todas as parcelas, do seu consórcio, além de não ter mais nenhum débito com o grupo, você receberá o valor atualizado do crédito quando for contemplado, embora não pague pelo reajuste das parcelas, uma vez que estarão todas quitadas.

Por outro lado, se o seu consórcio estiver sido contemplado e você pagar 100% das parcelas que faltam, nesse caso, seu crédito não será reajustado quando houver correção posterior a sua contemplação, pois o valor já está disponível para você usar.

Também existe a possibilidade de quitar as parcelas na ordem inversa; da última para a primeira. Se fizer isso, você também não pagará o reajuste dessas parcelas quando houver correção.

Ficou interessado nesse sistema? Conversa com a gente!

 

new RDStationForms(‘consorcio-contemplado-ebook-eab825b6ed89c7388daa-html’, ‘UA-113901927-1’).createForm();

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

O lado oculto do seguro de vida

Mindset financeiro – Descubra o seu

A poupança vale apena? ou está queimando o seu dinheiro!

5 pontos (não intuitivos) para economizar comprando com consórcio!

Onde investir o seu dinheiro em 2021-2022?

Consumidores chegam pagar 30% mais em carros de luxo quando não prestam atenção nisso

Materiais Educativos

Como conseguir capital de giro com consórcio

Crédito para investir no que quiser na sua empresa, pagando no mínimo duas vezes mais barato que empréstimo e no prazo certo.

Trabalhe com a Redesul

Anexar Currículo no formato: .doc .pdf .docx (max 5mb )